sexta-feira, 30 de setembro de 2011

AMOR DE IRMÃO

Há muitos anos, quando eu trabalhava como voluntário em um hospital, eu vim a conhecer uma menininha chamada Liz que sofria de uma terrível e rara doença. A única chance de recuperação para ela parecia ser através de uma transfusão de sangue do irmão mais velho dela de apenas 5 anos que, milagrosamente tinha sobrevivido a mesma doença e parecia ter, então, desenvolvido anticorpos necessários para combatê-la.


O médico explicou toda a situação para o menino e perguntou, então, se ele aceitava doar o sangue dele para a irmã.


Eu vi ele hesitar um pouco, mas depois de uma profunda respiração ele disse:
-"Tá certo, eu topo já que é para salvá-la....".


A medida que a transfusão foi progredindo, ele estava deitado na cama ao lado da cama da irmã e sorria, assim como nós também, ao ver as bochechas dela voltarem a ter cor.
De repente, o sorriso dele desapareceu e ele empalideceu. Ele olhou para o médico e perguntou com a voz trêmula:


-"Eu vou começar a morrer logo, logo?"


Por ser tão pequeno e novo, o menino tinha interpretado mal as palavras do médico, pois ele pensou que teria que dar todo o sangue dele para salvar a irmã!




Obs.: Porque quando criança, somos capazes de grande gestos e com o passar da idade passamos a ser cada vez mais mesquinhos e arrumamos desculpas para justificarmos os nossos atos e omissões?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Textos mais visualizados